• Imagem aérea da MRN
  • Imagem de crianças
  • Cachoeira do Jamaracaru
  • Imagem das crianças de novo

04 junho 2008

A força de quem faz uma das maiores feiras agropecuária da região


Todos os anos vêem-se nos meios de comunicação, principalmente impressa, uma fotografia do Centro de Convenções José Diniz Filho que se traduz em excelentes instalações, atrações artísticas de visibilidade nacional, programações eqüestres e outras atividades do setor.

O mais importante evento pra economia do município, quase nunca mostra quem faz o setor agropecuário acontecer. Nesses veículos, a discussão não é posta no sentido de gerar melhoria conscientizadora nos que fazem o setor acontecer.

Parabéns as revistas Conexão Oeste e Via Amazônia, que nesta edição que antecede o mês de realização da feira, trazem alguns depoimentos, dos que dedicam-se em fazer da atividade, um referencial para o setor.

O Dr. Luiz Souza, veterinários e pecuarista, fala de seu trabalho com a pecuária de corte e de leite. O Condomínio Agropecuário Miléo, leia-se Fazenda Primadona, de Sávio e Chiquinho Mileo, também dão seu testemunho pioneiro na seleção do Nelore, na realização de leilões que atraem investidores para o município. Casemiro Florenzano, que também é importante participe no processo, fala sobre o trabalho desenvolvido na Fazenda Riacho Doce. Gilberto Sarubbi Filho, relembra as origens da Fazenda Gilrosa, onde estão e onde pretendem chegar no seguimento pecuário.

A piscicultura, vista pelo técnico agrícola da prefeitura local, treinado para orientar os interessados na atividade, José Delfim Figueiredo Filho, relata a quantas anda o trabalho pioneiro desenvolvido pela Prefeitura, em parceira com a UFPA, INPA, Associações comunitárias e de pescadores, Mineração Rio do Norte e demais empreendedores interessados.

Nas próximas edições, os setores de suinocultura, avicultura e alguns segmentos agrícolas também serão contemplados, garantem os editores. Parabéns, informações sobre quem faz a força no setor agropecuário, mostram que Oriximiná busca alternativas econômicas com sustentabilidade e norte técnico científico que não se resumem pura e simplesmente a receita dos minerodólares exauríveis, como muitos pensam.

2 comentários:

  1. O governo municipal poderia ter direcionado seus esforços para a assitência técnica, de qualidade, com isso ajudar os produtores a se organizarem, produzirem com maior eficiência, para aumentarem sua competitividade.
    Diante deste quadro atual de obras, o qual foi o marco dos quatro anos de prefeitura, de um engenheiro agrônomo, que pela sua formação poderia ter se empenhado mais para dar ao produtor oriximinaense maior perspectiva de futuro. E não tão somente um parque de exposição gandioso.

    ResponderExcluir
  2. Certamente em todos os lugares do mundo tem a choradeira de agricultores e pecuaristas, que se endividam e não pagam seus empréstimos, que os fenômenos climáticos arrasam suas plantações, é a briga pelo subsídio e tudo mais... Uma porção de desculpas esfarrapadas para ficarem dependentes da ajuda do poder público, aqui não poderia ser diferente.

    O prefeito Argemiro construindo o parque municipal, foi muito além do que este anônimo coloca em seu comentário, o investimento do dinheiro público deve ser em prol de uma população toda e não só de um seguimento. O parque garante renda para o vendedor de churrasquinho, o moto-taxista, o vendedor de trator e claro os pecuaristas.

    Seria um absurdo se o prefeito apenas destinasse o dinheiro da população para ajudar somente os pecuaristas. Quem deve se organizar em suas categorias é o próprio setor e não a prefeitura ter ficar pegando na mão de empresário. A obra do parque, além de servir aos pecuaristas monta uma cadeia produtiva turística que movimenta hotéis, gastronomia, shows artísticos e diversos seguimentos do ramo.

    Então, não moro em Oriximiná, mas parabéns ao prefeito pela obra do parque.

    Nelson Vinencci

    Hamilton qual teu e-mail? Preciso mandar o cabeçalho do flash, o meu é nelsonvinencci@hotmail.com.

    ResponderExcluir

Obrigado por sua participação em nosso fórum de debates sobre o cotidiano da cidade de Oriximiná, Pará, Amazônia, Brasil. Se quiser você pode enviar seus texto, fotos e vídeos para o e-mail hamilton@ariuca.com.br. Continue participando.